Território digital e educação!

 Cada vez o mundo muda mais rápido, sobretudo no tocante as Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs). Nós estamos inseridos em uma constante revolução tecnológica, portanto, devemos nos adaptar rapidamente a suas oportunidades, e é claro, aos riscos relacionados a essas evoluções e das ferramentas criadas. Não deve ser diferente com os processos de ensino e aprendizagem que estão cada vez mais sujeitos às informações instantâneas. Essa velocidade da quantidade da informação, faz com que a distância entre as gerações, dos atores do processo de ensino, fique cada vez mais ampla. De um lado o desafio do professor em se atualizar, do outro, alunos e o consumo não seletivo dos conteúdos. Muitas vezes reféns de culturas ideológicas perigosas, que levam a distúrbios sociais graves, como vimos no jogo da “baleia azul”, ou no alistamento cada vez maior de jovens para o Estado Islâmico.

Esses são desafios para os educadores conseguirem fazer com que os estudantes, em sua maioria jovens, use as ferramentas adequadamente, consumindo material na rede que, direta ou indiretamente vão contribuir para sua formação social, psicológica e curricular. Para tal, os professores necessitam continuamente “invadir” e dominar as ferramentas da rede. Bem como, fazerem se presentes nos novos canais das TICs (blogs, websites, Twitter, Instagram, Facebook, YouTube) de maneira online e offline, ou seja, estando onde seu aluno também está. Aproximando-se de seus alunos, nesse novo “território”, que inevitavelmente e cada vez mais estamos frequentando a qualquer hora do dia e lugar, inclusive dentro da sala de aula, pode se tornar um prejuízo para o modelo tradicional de aulas.

Sem sombra de dúvida, a privação a este “mundo mágico” não é mais uma alternativa, deve ser parte do método, de ponta a ponta. Usar computadores, enquetes online, vídeos da rede, aplicativos de celular, ou até mesmo cria-los com os alunos, pasmem, mas muitos são exímios programadores práticos. Devemos nadar a favor da correnteza da informação e não ao contrário.